Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Fashion in the bag

Fashion in the bag

21
Ago17

A verdade por detrás dos incêndios

fashion

 

 

 

Não é a primeira vez que falo sobre este tema que é, também, motivo de preocupação e discussão em muitos dos blogues que sigo. Desta vez faço-o com conhecimento de como as coisas se processam no que à prevenção diz respeito.

Facto: A minha família tem uma pequena quinta rodeada por pinheiros e carvalhos inserida numa enorme mancha florestal. Ao redor cresce muito mato e alguns pinheiros(enormes) ameaçam cair para o telhado da casa.

Atitude:Falei com o vizinho há alguns anos. Riu-se e nada fez.

Resultado: O mato cresceu ainda mais sendo neste momento um local potencialmente perigoso e onde o risco de incêndio cresce a cada dia que passa.

 

1- Há dois meses liguei e enviei um correio electrónico para a Câmara e gabinete da protecção civil e expus o caso.

2- Um mês depois volto a insistir e o responsável diz-me que estão com falta de meios e que ainda não tinha conseguido responder-me, que o faria no final da semana.

3- Duas semanas depois ninguém me diz nada. Volto a insistir e o responsável, chateado, diz-me que está a fazer inventário de incêndios que não tem meios e que responde quando puder.

4-  Eu pergunto-lhe, também chateada, se é mais importante fazer inventário do que já ardeu ou prevenir o que poderá arder.

5- Acalmou e ligou-me uma semana depois. Disse-me que na realidade o melhor era ligar para a GNR floresta que eles são rápidos e que a câmara (protecção civil) é mais lenta e não tão eficaz. Ajudou-me a fazer a exposição e ficou com a consciência tranquila porque passou para outros.

6- Faço a exposição ao Sepna(GNR) e passado uma semana não obtenho resposta(aparentemente não receberam a minha exposição). Ligo para a linha de apoio, mas durante quatro horas o número está impedido. Insisto e consigo falar. Dizem-me o mesmo da câmara. Têm poucos meios, mas que vai já enviar para a GNR local.

7- Passados quatro dias a GNR vem a minha casa e pede-me para ver o sítio.

8- Quando estamos quase a chegar,( perto de caminhos onde só se vê mata e silvas, onde quase não se passa), perguntam-me: Mas há casas aí? Sim, respondi.  Caso não haja não podemos fazer nada, disseram eles. Como? Pergunto. Mas isto está cheio de silvas e mato e está assim porque ninguém limpa. Se começar a arder ninguém consegue chegar lá porque não se passa nos caminhos. Só podemos actuar(adoro quando eles utilizam esta palavra) se existirem casas e numa extensão de cinquenta metros ao redor das casas.

9- Chegados lá dizem-me que só podem mesmo notificar o proprietário relativamente aos 50 metros em redor da casa. Os pinheiros altos que estão em risco de caírem para cima da habitação e de partir o telhado, tem se ser com a protecção civil e com a câmara.

11- A notificação só produzirá efeitos em Maio porque até final do Verão, ninguém pode cortar nada.

10- Digo-lhe que já tinha falado com a protecção civil e que me encaminharam para a Sepna. Respondem-me que tem mesmo de ser com eles. GNR só trata do mato ao redor das casas. Mas os fogos só começam ao redor das casas?

11- Volto a enviar e-mail para  a protecção civil. A única pessoa que trata do caso está de férias até ao final de Agosto. Vou ter de esperar. Desejo que os incêndios não cheguem lá e que os pinheiros não caiam. É fazer figas...

Conclusão: As pessoas são prestáveis e diligentes e lutam também elas contra as políticas erradas, mas pouco podem fazer. Não há meios, as leis estão erradas e desactualizadas e tudo parece uma grande trapalhada. Não me parece ser difícil delinear um plano, obrigar as pessoas a limpar e quando estas por serem velhas ou incapazes não puderem serem as câmaras e as juntas a faze-lo. Enquanto isso vamos todos fazendo figas para não sermos os próximos a cair nas tristes malhas das chamas. Admiro-me, sinceramente, é por não termos mais incêndios.

 

 

37 comentários

Comentar post

Mais Sobre Mim

A Ler

Palavra da Semana

Diafania

Segue-me

Follow

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D

blogs portugal

Este blogue tem direitos de autor Copyrighted.com Registered & Protected

A ler 2