Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Fashion in the bag

Fashion in the bag

15
Jun16

Podemos sempre escolher outro caminho?

fashion

cami.jpg

 

 

 

Recordo sempre a imagem de um certo hipnotismo de cada vez que passava diante de uma encruzilhada. Não sei bem exlicar, mas sentia que a convergência de caminhos representava o centro do mundo, talvez do meu mundo, e me fazia sentir, sempre, que tinha várias possibilidades. Os anos foram passando continuei a passar em várias encruzilhadas e o sentimento manteve-se. Apesar disso comecei a ver, neste cruzar de caminhos coisas que ate ali, achava impossível. Uma delas é o de conseguir visualizar,no início de cada caminhada o que calçaria para percorrer cada um deles.

É estranho porque estou no meio de um pinhal(porque essa é a encruzilhada onde passo mais vezes) e vejo no chão os adereços necessários para percorrer cada um dos quatro caminhos.

Num estão uns sapatos vermelhos altos e de "salto agulha", no outro uns ténis confortáveis, no terceiro uns chinelos e no último umas botas. Os sapatos vermelhos são lindos e elegantes e quase nem olho para os outros, ponho-me a calcorrear por ali fora, mas rapidamente os pés doem, o salto parte, e acabo por cair no chão. Arrependo-me desta escolha.

Volto atrás e escolho os ténis, desta não vou errar, penso. Começo novo trajecto, cheia de alegria, mas a chuva começa a cair e rapidamente os pés ficam atolados, feridos por estarem tão molhados e as lágrimas lutam com a chuva por um lugar na minha face.

Volto de novo à encruzilhada: desta vez, são as botas as escolhidas. Certa de que agora o dilema foi superado, esboço um sorriso, (daqueles que iluminam o sol) e recebo um forte e quente cumprimento. Fico com tanto calor que é impossível manter as botas. Estou cansada e os pés doridos.

Regresso e olho para os chinelos. Desta vez não pego neles, apenas olho, um namoro discreto, medroso. Levanto os olhos e percorro o caminho apenas com o olhar. Decido-me a seguir descalça e deixo os chinelos de lado. No inicio os pés doem, começam por sangrar, mas a pouco e pouco eles calçam-se de terra e pedras e é difícil distinguir pés, pedras e terra.

Olho para o cume dos pinheiros, esqueço-me dos caminhos que antes escolhi, ignoro as cicatrizes nos pés e no coração. As árvores competem com os meus passos e aos poucos o caminho vai-se tornando muito promissor. Podemos sempre voltar à encruzilhada e escolher outro caminho?

 

Mais Sobre Mim

A Ler

Palavra da Semana

anguícomo

Segue-me

Follow

Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D

blogs portugal

Este blogue tem direitos de autor Copyrighted.com Registered & Protected

A ler 2