Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Fashion in the bag

Fashion in the bag

14
Dez16

O amor, a pena, as asas e o Rebelo

fashion

 

Acordou cedo com o ladrar chamativo do Rebelo que não parava de dar voltas sinónimo de uma urgência que a fazia, sempre, sorrir.

Vestiu umas calças justas de lycra preta e um camisolão cinzento e grosso. Não estava demasiado frio, mas gostava de sentir o conforto que a lã lhe dava quando tocava a pele. Engoliu um chá de camomila e uma torrada e encaminhou-se, com Rebelo, para uma floresta perto da sua casa.

Rebelo era branco com uma pequena mancha castanha. Era um cão enérgico, brincalhão e estava com ela há  cinco anos. Não se lembrava quando começou a amizade entre eles, mas ela podia garantir que ele sempre estivera na sua vida. Rebelo pisava as folhas com que castanheiros tinham vestido o caminho, sempre a ladrar e a abanar a cauda. De vez em quando olhava para trás, ou ia ao pé dela de forma a ganhar uma vigorosa festa no pêlo sedoso. Ao fim de algum tempo ela sentou-se na berma do caminho e o cão continuou a farejar e a saltitar, de um lado para o outro, e ao redor dela. Finalmente encontrou uma pequena abelha e começou a esticar as patas, a rosnar e assim ficou enquanto a abelha teve paciência e se manteve na brincadeira.

Ela sentada na berma sentia-se ausente, estava ali e não estava. Pensava sempre em outras coisas, em coisas que não tinha, em situações que precisava. Cruzou as pernas e colocou o queixo em cima dos joelhos acompanhando, desinteressadamente, os movimentos do Rebelo.

Lembrou-se do amigo João, de quem gostava, e tinha pena. Gostar e ter pena, murmurou. Mas gostar e ter pena é, de alguma forma, aprisionar sentimentos, pensou... Quando se gosta há penas, mas é nas asas que se ganham para voar. As penas só servem para mascarar os sentimentos, para dizer que se gosta um bocadinho, mas não se ama. O amor é um voo sem destino, mas sem penas.

Rebelo ladrou a olhar para ela numa espécie de concordância com o seu pensamento.

-De ti não tenho pena, Rebelo, disse-lhe ela, ao mesmo tempo que lhe afagava o pêlo. Tu fazes com que eu ganhe asas; tu dás-te incondicionalmente, fazes com que eu também me dê incondicionalmente.

Não há razões, não há medos, é assim....

Levantou-se e caminhou com ele ao lado.

Mais Sobre Mim

A Ler

Palavra da Semana

anguícomo

Segue-me

Follow

Posts mais comentados

Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D

blogs portugal

Este blogue tem direitos de autor Copyrighted.com Registered & Protected

A ler 2