Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Fashion in the bag

Fashion in the bag

16
Nov16

À procura da Luz...

fashion

 (imagem retirada da net)

Pegou no chapéu, de feltro cinzento, que tinha sobre a cadeira, colocou-o na cabeça e compôs, com as mãos as pontas o cabelo que ficaram viradas para fora. Caminhou pela rua, os carros sucediam-se às pessoas que vagueavam pela avenida com olhar perdido e ancoradas no desejo de vencerem o tempo. Também ela era uma anónima que percorria, muitas vezes sem rumo, as salas abertas de vidas que se cruzam diariamente e durante anos.

A amiga Madalena tinha tido, há anos, um acidente de moto grave, que a colocou num coma profundo durante três meses. Falaram muito sobre isso, ela e a Madalena. Contou-lhe várias coisas, sensações que recordava, sons, mas o que mais a  inquietou foi ela dizer-lhe que tinha visto uma luz intensa e branca. Desassossegou-se, em primeiro lugar, porque ela pensava que a estória do túnel não era verdadeira e também porque ela descreveu, de tal forma, a paz que sentiu quando viu a luz que ela passou, mais ou menos, conscientemente a procurar uma luz.

Perguntava a pessoas, interessava-me por acidentes, pelo relato dos intervenientes e passaram anos em que a menina do chapéu procura uma luz, uma luz que trouxesse paz e brilho. Olhava para o céu, para o mar, para as pessoas que gostava, e muitas vezes acreditava que sentia esse brilho, mas não estava satisfeita. Anos mais tarde, encontrou a Madalena, por acaso, num desses centros comerciais da moda. Estava magra, com olheiras fundas e a principio nem a reconheceu. Ela viu-a e veio falar-lhe, deu-lhe um longo abraço e ficaram à conversa( daqueles diálogos, que fazem parar o tempo)... Voltou a falar-lhe, no relato da luz. Sorriu e disse-lhe: todos os dias procuro essa luz, disse-lhe. Também eu, respondeu, ela, a rir. Sentada atrás delas estava uma Senhora que devia ter uns setenta anos, cabelo grisalho, fato de saia, preto e branco e brincos de pérolas. Pediu-lhes desculpa, reconheceu que tinha ouvido a conversa delas. Contou que também tinha passado por um estado de coma e que sentiu, também essa luz, que a procurou depois, tal como elas, e que a encontrou.

- Onde? quiseram saber!

-É tão simples, respondeu.

-Olhem bem para dentro de vocês. Escondidinha dentro de cada um está uma luz brilhante que nos transmite paz e tranquilidade. Basta terem tempo e quererem ver. O coma dá-nos esse tempo.

Despediram-se. Continuou à procura de tempo e da.... luz.

18
Jul16

Levar luz aos poços e contemplar as rodas...

fashion

moi.jpg

 

 

A roda do moinho iniciou devagar o seu trabalho, rotativo, e aos poucos desaparecia no pequeno poço de pedras e voltava a aparecer deixando cair algumas gotículas da água translúcida.

Fiquei fascinada com o movimento. Coloquei a cabeça em cima das mãos e apoiei os cotovelos nas rugosas pedras do poço. A roda continuava, perfeita, o seu trabalho. 

Há pensamentos que são como as rodas do moinho. Umas vezes estão afogados, quase não os vemos, dificilmente os sentimos, perdem-se no poço. Outras vezes são apanhados pela roda e voltam à nossa vida, mesmo sem serem convidados, e permanecem. Ficam lá bem no cimo e a única coisa que vemos são algumas gotinhas que vão caindo, quando eles apertam com força as pequenas latinhas que temos dentro de nós. Faríamos tudo para que esses fantasminhas transparentes nos abandonassem, mas eles seguem o movimento da roda, uma vez aparecem à luz do sol  e outras estão escondidos na escuridão do poço e das pedras. Pensei em atirar todas a pedras no poço e afogá-los, de vez, na fria água, mas aí interromperia o perfeito movimento da roda.  A roda tem de continuar a trazer e a esconder, isso tem qualquer coisa de vital. Há movimentos que não podemos parar. Ainda assim podemos preencher o poço com mais água, com flores, fazer aberturas e deixar que o sol contemple a água, desde a sua nascente. Como pode uma água, aquecida pelo sol, desde que nasce, trazer fantasminhas? Os fantasmas só gostam da escuridão, não da luz. Levantei-me e sacudi os braços, é isso, pensei: temos de levar o sol aos poços!!

 

Mais Sobre Mim

A Ler

Palavra da Semana

anguícomo

Segue-me

Follow

Posts mais comentados

Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D

blogs portugal

Este blogue tem direitos de autor Copyrighted.com Registered & Protected

A ler 2